Instagram para e-commerces: como transformar essa rede social em uma vitrine para a sua loja virtual

Que as redes sociais têm transformado a forma como as marcas interagem com os seus clientes há muitos anos não é nenhuma novidade. Mas, agora, os empreendedores têm ainda mais recursos para mostrar seus produtos e serviços, divulgar conteúdo relevante e, assim, atrair e conquistar seu público-alvo. Um exemplo disso é o Instagram para e-commerces!

Criado em 2010 e comprado pelo Facebook dois anos depois, o Instagram tem mais de 1 bilhão de usuários ativos em todo o mundo, de acordo com dados da própria empresa divulgados no primeiro semestre de 2018. No início, o grande diferencial da rede social era a publicação de fotos por meio de dispositivos móveis, que podiam ser curtidas e comentadas pelos seguidores do usuário.

Hoje, o Instagram conta com diversos outros recursos, como a publicação de vídeos no feed, a criação de stories, o envio de mensagens diretas e outras funcionalidades, além de também poder ser visualizado por meio de desktops. Atentas ao público presente na rede, as marcas já somam, pelo menos, 200 milhões de contas comerciais ativas todos os dias.

Por que usar o Instagram para e-commerces

Os motivos para que um empreendedor utilize o Instagram para e-commerces são diversos e estão relacionados, principalmente, a dois aspectos: a grande presença do público nessa rede social e os recursos que ela promove para que a loja virtual possa oferecer e vender seus produtos e serviços com mais facilidade.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Opinion Box, empresa especializada em pesquisas sobre o mercado online, 25% dos internautas afirmam que o Instagram é a rede social que mais utilizam. Essa preferência é ainda maior entre as mulheres (28%) e os jovens com idade entre 16 e 29 anos (35%). Além disso, 63% dos usuários acessam o Instagram várias vezes ao dia e 89% deles verificam a rede pelo menos uma vez nesse período.

Só esses números já seriam o bastante para que um empreendedor decidisse divulgar seus produtos e serviços e publicar conteúdo relevante nessa rede, afinal, é muito provável que o seu e-commerce ganhe visibilidade com ela. Mas, somado a isso, a pesquisa também demonstra que o Instagram é uma boa plataforma para fazer negócios.

Conforme o relatório, 83% das pessoas entrevistadas seguem alguma marca na rede social. Outras questões são ainda mais relevantes: 50% dos internautas também disseram ter adquirido algum produto ou contratado algum serviço que conheceram no Instagram e 47,5% deles já compraram itens indicados por alguém nessa rede.

Ou seja, o Instagram não apenas tem a preferência de grande parte dos internautas brasileiros como também é um ótimo lugar para aumentar suas vendas. Confira três pontos importantes que mostram os benefícios do Instagram para lojas virtuais:

#1 Recursos para divulgar conteúdo:

O marketing digital é uma estratégia fundamental para qualquer empreendimento, ainda mais no e-commerce, em que não existe vitrine para atrair clientes e nem vendedores para conquistá-los. O objetivo dessa técnica é aproximar o público-alvo e a empresa, estreitando cada vez mais a relação entre essas duas partes até que um potencial cliente vire um comprador e, mais do que isso, um embaixador da sua marca.

Para que isso aconteça, várias técnicas são utilizadas, como a criação de um blog e de perfis em redes sociais para divulgar conteúdo relevante para a persona da loja virtual. Esse conteúdo deve contribuir para atender às necessidades dos clientes, além de engajá-los no relacionamento com a empresa, fator importante para fortalecer a marca no ambiente digital.

Nesse sentido, o Instagram é uma importante ferramenta para o marketing. Afinal, essa rede oferece diversos recursos para que o e-commerce possa produzir conteúdo relevante e qualificado para o seu público. As próprias fotos para o feed são um exemplo: quando bem produzidas, elas chamam a atenção para determinado produto ou serviço e podem servir para orientar o usuário em relação a algum assunto sobre o seu nicho de mercado.

Imagine, por exemplo, que você tem uma loja virtual que vende itens para animais de estimação. Além de publicar imagens desses produtos, você também pode compartilhar fotos dos tutores com seus animaizinhos ou dar dicas relacionadas aos cuidados com os bichanos no seu feed, ações que atraem clientes orgulhosos e preocupados em oferecer o melhor para seus pets.

Os vídeos também são um recurso interessante. Podem ser usados para explicar as funcionalidades e benefícios de determinado item, falar sobre tendências do seu segmento, mostrar lançamentos e muito mais!

Da mesma forma, os stories são outra carta na manga: tratam-se de conteúdos rápidos e disponíveis por apenas 24 horas que você pode usar com diversos objetivos! Conforme a pesquisa realizada pelo Opinion Box, 86% dos internautas entrevistados gostam dos stories e 73% deles assistem às histórias publicadas por outros usuários pelo menos uma vez por dia.

Com eles, é possível mostrar um pouco dos bastidores da sua loja, compartilhar conteúdo dos seus seguidores, criar promoções exclusivas, fazer transmissões ao vivo, entre outras ações. Vale lembrar que esse também é um recurso que estimula a interatividade entre a loja e os clientes com ferramentas como as enquetes e as perguntas.

Além disso, ainda é possível utilizar o IGTV, uma espécie de televisão do Instagram disponível apenas para dispositivos mobile. Com essa ferramenta, você pode publicar vídeos de até 10 minutos, ideais para mostrar eventos realizados pela sua loja, ou dos quais ela está participando, e para oferecer um conteúdo ainda mais relevante ao seu público.

#2 Recursos para vender:

Todos os recursos dos quais falamos até agora estão disponíveis para os usuários do Instagram, sejam eles pessoas, sejam eles empresas. Porém, as contas comerciais também têm outras facilidades para aumentar suas vendas.

Uma delas é a possibilidade de colocar os links dos produtos e serviços nos stories. Dessa forma, ao ver alguma imagem e se interessar pelo item indicado, o consumidor online pode clicar no link para ser direcionado para a página da mercadoria no site da loja virtual, onde pode fazer a compra, se desejar.

Ainda nos stories, também é possível acrescentar uma figurinha de produto à publicação. Ao clicar nela, o usuário é levado a uma página do produto dentro do Instagram, pela qual tem mais informações sobre o item, como o preço, as funcionalidades e outras características. Caso queira comprá-lo, basta clicar em um link que o levará diretamente ao site do e-commerce.

Essa mesma função, chamada de Instagram Shopping, também está disponível em fotos e vídeos e traz benefícios para a apresentação dos produtos. Isso porque você não precisa publicar a imagem de uma mercadoria por vez ou de um item de forma individual. O seu e-commerce pode fazer posts mostrando uma composição e marcar até cinco produtos em cada foto ou vídeo.

Assim, quando o cliente clicar sobre a imagem, figurinhas aparecerão mostrando os nomes e os valores dos itens, de forma parecida com a marcação de usuários. Ao se interessar por algum deles, basta clicar na marcação do produto para ser encaminhado a uma página relacionada a ele dentro do Instagram, na qual, depois, é possível ter acesso ao site da loja virtual.

Vale ressaltar que, de acordo com uma pesquisa publicada pela L2inc, empresa que pesquisa o desempenho digital de marcas de consumo, 65% dos posts que apresentam melhor desempenho no Instagram apresentam os produtos de uma marca.

Além disso, toda vez que uma publicação é criada com produtos marcados, ela é compartilhada com todo o público da rede social na aba Compras da guia Explorar que, conforme o Instagram, é visualizada por 200 milhões de usuários diariamente. Com isso, os itens que você comercializa ficam visíveis até mesmo para quem ainda não segue o seu e-commerce na rede.

Quando um cliente acessa a conta da sua loja virtual no Instagram, ele também pode visualizar todos os produtos que você está oferecendo na plataforma ao clicar na opção Loja, uma alternativa interessante para clientes que querem conhecer o que a sua loja virtual oferece com mais rapidez.

#3 Interatividade e engajamento:

Além dos recursos disponíveis para a divulgação de conteúdo e a apresentação de produtos e serviços, outro benefício do Instagram é a alta taxa de interação entre usuários e marcas. Conforme pesquisa, entre 2% e 7% dos seguidores de uma empresa interagem com cada post publicado por ela na rede. Para comparação, segundo o mesmo relatório, no Facebook, as taxas de engajamento têm caído, enquanto no Twitter há menos de 2% de seguidores envolvidos em cada post.

Outro estudo, desta vez realizado pela plataforma de e-commerce Nuvem Shop, mostrou que, em um intervalo de três meses ― entre outubro e dezembro de 2018 ―, 27% das ações convertidas em negócios foram originadas no Facebook, enquanto 70% delas vieram do Instagram. Esse panorama é muito diferente do que ocorria no ano anterior, quando 71% dos negócios tinham origem no Facebook e apenas 26,5% no Instagram.

Otimização em lojas virtuais: SEO

Conquistar um grande número de acessos em uma loja virtual é essencial para aumentar as vendas. Disso você já sabe, certo? Mas será que sabe também que uma das melhores práticas para alavancar o volume de acessos de um e-commerce é investir no SEO? Assim seu conteúdo fica melhor posicionado nas ferramentas de busca, gerando mais visitas e, consequentemente, aumentando as vendas. Lembrando que SEO nada mais é que um processo que se propõe a conseguir as melhores colocações possíveis na busca orgânica das páginas de resposta dos grande buscadores (como o Google e o Bing). Quer saber como conseguir resultados com essa estratégia? Pois então continue acompanhando nosso artigo de hoje! Confira:

A importância do SEO no e-commerce

A tarefa de realizar SEO em uma loja virtual não é das mais fáceis, mas certamente é uma das mais importantes para a divulgação de um e-commerce. Isso porque, por mais que sua loja possua um bom layout, produtos de qualidade e preços atrativos, nada disso fará efeito se você não alcançar o máximo de consumidores possível. Como está comprovado que o melhor tráfego para um site vem dos acessos vindos da busca orgânica, para garantir que o volume de visitas à sua página seja constante e não dependa dos anúncios e do tráfego pago, o melhor a fazer é investir no SEO do e-commerce.

As melhores práticas de SEO

Para garantir que seu e-commerce fique bem posicionado nas buscas, separamos algumas dicas de SEO que poderão ajudá-lo a conquistar seu lugarzinho ao sol e aumentar suas vendas. Veja só:

Escolha uma boa plataforma

O primeiro passo para garantir que seu e-commerce alcançará o melhor posicionamento nas buscas orgânicas é escolhendo uma plataforma preparada para SEO, ou seja, que permita a customização de URLs, de títulos e descrições dos produtos, além de tantas outras ações. Para ter sucesso no emprego do SEO é preciso garantir que sua loja possui uma estrutura de programação adequada, permitindo o cadastro de seus produtos de forma profissional e sistematizada.

Muitas plataformas de e-commerce não contam com a estrutura necessária para um processo de otimização eficiente, o que impacta negativamente nas vendas. Esse problema é tão grave que algumas lojas virtuais sequer são encontradas pelo Google por conterem problemas sérios de programação. Então pesquise bem antes de escolher sua plataforma, pois uma ferramenta limitada pode atrapalhar as vendas de seu e-commerce.

Pense em URLs amigáveis

Seja para facilitar a navegação do usuário ou mesmo dos robôs de busca, criar uma URL amigável é uma excelente maneira de otimizar o SEO do e-commerce, podendo ser usada, por exemplo, para dar destaque a uma palavra-chave importante. Para quem não sabe, a URL é o endereço de uma página na internet, aquele que fica em destaque no navegador no momento em que o usuário navega pelo site. E uma URL amigável nada mais é que um endereço fácil de entender, cuja leitura deixe claro do que a página em questão se trata.

Redobre os cuidados com os títulos

Como o título de uma página é um de seus principais atributos, atente-se para suas páginas de produto. Assim como a URL, o título dessas páginas deve facilitar o trabalho do usuário, deixando claro o assunto sobre o qual a página trata. Isso sem contar que os mecanismos de busca também valorizam as informações inseridas nesses títulos, sendo, portanto, extremamente importante que neles estejam presentes os nomes do produtos ou até mesmo algumas palavras-chave para seu e-commerce. É importante garantir que o título de sua página não ultrapasse os 70 caracteres, além de usar a tag <h1>, pois essas ações podem ajudá-lo a ter uma posição ainda melhor nas ferramentas de busca.

Dê a devida atenção à descrição dos produtos

A descrição de um produto é muito importante não só para garantir que o consumidor entenda o que está sendo oferecido como porque as ferramentas de busca valorizam essas informações. Mas atenção: muitas lojas virtuais pecam por apenas copiar as informações contidas no site do fabricante! Esse procedimento, na maioria das vezes, leva a uma péssima indexação por não estarem presentes critérios de SEO que possibilitem atingir uma posição de destaque nas páginas de respostas dos buscadores. Sendo assim, sempre crie conteúdo exclusivo e relevante para seu usuário inclusive na descrição de cada um dos produtos da loja.

E não se esqueça de fazer bom uso das palavras-chave! Com isso você garante o bom posicionamento das páginas de seus produtos nas buscas, evitando ser penalizado por conter conteúdo duplicado, idêntico ao de outras páginas pela internet.

Faça bom uso das categorias

Muitos pensam que as categorias de um e-commerce servem apenas organizar uma loja virtual e ajudar na segmentação de produtos, mas elas também ajudam no SEO da loja virtual, principalmente quando há o uso de palavras-chave importante na nomeação dessas categorias. Lembre-se, afinal, de que as categorias aparecerão não só na URL da página, mas também em vários outros locais, influenciando bastante na forma em que os motores de busca enxergam sua página.

Crie um blog

Um blog pode ser uma excelente ferramenta para ajudar no SEO do e-commerce, pois com ele você pode criar conteúdo relevante para seus usuários, ajudando a tirar dúvidas e até mesmo influenciando suas compras. Esse blog pode estar associado à sua marca de forma que, sempre que citar algum produto específico, possa direcionar o usuário para um produto, aproveitando o tráfego gerado pelo conteúdo para levar à sua loja virtual, aumentando as vendas.

Acompanhe de perto os resultados

Vale também ressaltar que a estratégia de SEO do e-commerce precisa de manutenção e monitoramento constantes, a fim de garantir a conquista dos resultados esperados. Como a busca por boa indexação é feroz, se ninguém ficar de olho, sua loja pode facilmente cair. Por isso, é necessário que seu trabalho de SEO seja continuamente aprimorado, de preferência por quem faz a administração da loja virtual.

Certamente, otimizar seu e-commerce para garantir que ele fique bem posicionado nas buscas não é tarefa fácil, mas seguindo todas essas dicas você estará no caminho certo para garantir o sucesso nas vendas!

Agora que você já sabe da importância do SEO para o e-commerce e conhece as melhores práticas que podem ser aplicadas em sua loja virtual, é hora de conhecer também quais são os 4 erros do SEO do e-commerce que prejudicam sua loja virtual!

Checkout Transparente: aumente a sua taxa de conversão em 30%

O Checkout Transparente é a ferramenta ideal para quem busca aumentar a taxa de conversão de suas vendas, e dar mais segurança para os seus clientes no momento da compra. A Wirecard foi o criador desse serviço, sendo hoje marca registrada dessa solução de pagamento inteligente.

(mais…)

Precisa receber pagamentos? Conte com o Moip

A Wirecard é uma empresa que oferece soluções de pagamento para lojas virtuais e físicas, assinaturas online e marketplaces. Nossos clientes contam com mais de 15 de meios de pagamento, ferramentas de gestão de risco, além de uma adesão simplificada.

Conferido com o certificado de segurança PCI DSS (reconhecido mundialmente), a Wirecard é utilizado por mais de 50 mil negócios, desde start-ups até empresas estabelecidas, e processa mais de 1 milhão de transações online a cada mês.

Receba pagamentos

A missão da Wirecard é facilitar o envio e o recebimento de pagamentos eliminando distâncias e integrando pessoas e empresas. As cobranças podem ser encaminhadas via o e-mail ou para o smartphone de quem deve pagar. O pagador também encontra diversas opções para pagamento como: cartões de crédito, boleto e débito bancário.

A Wirecard possui interfaces para o recebimento de doações, venda de conteúdo digital, carrinho de compras e muito mais. Além disso, a administração de sua Conta da Wirecard pode ser feita pelo computador ou smartphone.

Aumente as suas taxas de conversão

A Wirecard é criador do sistema de Checkout Transparente, que oferece uma experiência de compra inteligente e ágil para o seu cliente, pois viabiliza que todo o processo de compra seja feito sem redirecionamentos de página. Essa solução é conhecida por garantir um aumento nas taxas de conversão em até 30%.

Garanta um aumento em suas taxas de conversão oferecendo uma experiência de compra inteligente para os seus clientes e acabe com os abandonos de carrinho! Baixe o nosso e-book clicando no banner abaixo!

e-book-checkout-acabe-com-os-carrinhos-abandonados-na-hora-do-pagamento-og

Acesse wirecard.com.br/blog e confira todas as nossas soluções!

Vantagens da “Compra com um Clique” e como integrá-la corretamente no seu e-commerce

Para quem compra pela internet nada melhor que ter agilidade e segurança na hora de finalizar o pagamento. Esta também é uma das partes mais importantes do processo de venda para o lojista. Com um checkout mais simples e intuitivo, sem grandes obstáculos, o vendedor tem mais conversão e menos abandono de carrinho.

Nesse sentido, a “compra com um clique” é uma ferramenta estratégica para otimizar o processo de pagamento e-commerce. Veja abaixo algumas vantagens de oferecer essa opção para o seu cliente e como funciona o processo de integração:

#1 Menos tempo, mais conversão no site:

Quando o cliente usa a Compra com um Clique o pedido dele é processado automaticamente sem passar pelo carrinho de compras. Esta é uma vantagem grande já que geralmente o passo a passo do carrinho de compras oferece ao consumidor o tempo da dúvida, principalmente ao apresentar informações sobre prazo de entrega, preço do produto, tipos de pagamento, parcelas, valor do frete, etc.

O cliente também pode optar pela compra com um clique por estar sem os dados de seu cartão no momento em que vê uma boa oferta. Na Compra com um Clique o cliente não precisa se preocupar em preencher formulários extensos e nem ter os dados de cartão em mãos (eles já estarão armazenados previamente no seu site). Além disso, ele tem menos chance de ser “barrado” por erros de preenchimento e ainda ganha tempo para navegar mais no seu site.

#2 Mais agilidade e confiança:

Se por um lado o cliente quer mais agilidade durante o pagamento online ele também espera mais segurança do seu e-commerce. Por isso se você quer implementar a Compra com um Clique considere oferecer a ela também um ambiente seguro de armazenamento e tráfego de dados. Uma boa opção é contar com o apoio de uma solução de pagamentos com certificação PCI e Gestão de Risco.

#3 Compra com um Clique como estratégia de fidelização:

A Compra com um Clique também pode ser usada para consolidar a venda dos clientes indecisos. Se você já sabe qual produto seu consumidor está interessado ou se ele é um comprador recorrente que tal enviar um e-mail com a opção de compra com um clique para ele? Reforce a vantagem da rapidez da compra, mas também não se esqueça de informá-lo sobre o funcionamento e as regras da Compra com um Clique no seu e-commerce para evitar devoluções e chargeback.

“Não me surpreenderia ver esse tipo de transação sair da internet e ir para o mundo físico, como já acontecem em diversos outros países do mundo. Por exemplo, quando você vai à academia nos Estados Unidos eles já associam sua digital ao seu cartão de crédito. Da mesma forma que você usa sua digital para entrar na academia, você a utiliza também para comprar um lanche, pagar por uma toalha extra.

É como “1 click”, ou melhor, “1 toque”…” Para integrar a Compra com um Clique usando Wirecard é necessário integrar o Checkout Transparente. Veja alguns pré-requisitos:

1) Utilizar API Wirecard:

Você deve ter a ferramenta API habilitada em sua conta da Wirecard e utilizar sua KEY e TOKEN para se autenticar na API e poder processar as requisições.

2) Possuir informações de identificação do comprador/cliente:

Você deverá ter as informações para enviá-las na instrução XML e conseguir processar o pagamento.

3) Desenvolver Checkout próprio:

O Checkout é o momento no qual seu cliente seleciona a forma de pagamento e informa seus dados. O Transparente permite que você desenvolva essas telas com seu layout e de acordo com suas regras de negócio.

4) Informar ao comprador/cliente que a transação é processada pela Wirecard:

Você deverá informar ao seu cliente que a Wirecard é responsável pelo processamento da transação. Além de transmitir segurança, isto evita o “não reconhecimento” do nome Wirecard na fatura. Além disso, a Wirecard garante a segurança para compradores, caso ele tenha algum problema, podendo inclusive diminuir as suas contestações diretamente no banco emissor e resolvendo os problemas.

Gostou desse texto? Quer experimentar a ferramenta de Compra com um Clique e alavancar os resultados do seu negócio? Entre em contato conosco!

Checkout transparente: a ferramenta de pagamento com foco no vendedor

O checkout é uma das etapas mais importantes durante o processo de venda em um e-commerce. Em poucas palavras, o checkout é o conjunto de passos para realizar o pagamento de um produto ou serviço online (desde colocar o produto no carrinho até a confirmação do pagamento). Um checkout transparente promove um aumento nas taxas de conversão de um site, justamente por proporcionar uma experiência de compra otimizada para o cliente.Sem um checkout eficiente, todo o investimento em marketing, pesquisas de usabilidade e captação de leads podem ser perdidos já que é justamente nessa etapa que o cliente decide se vai ou não comprar o produto. Por isso cada elemento que o vendedor inserir nesse processo deve ser cuidadosamente pensado e acaba sendo responsável pela desistência do consumidor ou pela venda bem-sucedida. O checkout transparente impede que os abandonos de carrinho aconteçam na sua loja virtual, porque facilita o processo de compra de um produto.

Além dos fatores relacionados ao comportamento do próprio comprador, como por exemplo o arrependimento e a distração, outros detalhes como número de etapas para a realização do pagamento e a experiência de uso que o vendedor proporciona para seu cliente durante a finalização da compra são fortes impactadores de conversão.
Segundo pesquisas da Forrester Research, checkouts complicados são responsáveis por 11% dos abandonos de carrinhos, enquanto que a obrigatoriedade de apresentar dados (formulários) é responsável por 14% das desistências. Outro item que pode “atrapalhar” a finalização de uma venda é a presença do Um intermediador de pagamento, como o Wirecard, oferece um checkout transparente, que livra o cliente do redirecionamento de páginas, aumentando as taxas de conversão de um site.

Se, por um lado, empresas coma Wirecard, Pagseguro, MercadoPago e Paypal trouxeram mais praticidade para os negócios solucionando todas as demandas do lojista – como segurança nas transações e oferta de vários meios de pagamento – ao se posicionarem como intermediadores incluíram no processo seu próprio fluxo de checkout e em alguns casos também inseriram etapas desnecessárias como preenchimento de cadastros e abertura contas.

Pensando em simplificar esses processos e aumentar a conversão de seus lojistas, a Wirecard criou em 2012 o checkout transparente, tornando-se a primeira empresa de pagamentos a dar preferência ao lojista no processo de checkout. “Na Wirecard já existia o conceito do “Pagamento Direto”, mas nós precisávamos desenvolver uma solução que facilitasse a integração e ao mesmo tempo fizesse o armazenamento seguro e inteligente de dados para viabilizar a compra por um clique. Por isso optamos pela tecnologia JavaScript que é compatível com os módulos ASP, PHP, Java, Ruby, de fácil integração.

Outra vantagem que oferecemos para o vendedor ao criar o Checkout Transparente é que o lojista fica automaticamente coberto pelo nosso certificado de segurança do PCI, já que as informações da transação dele vão direto para o servidor da Wirecard. Assim, além do vendedor fornecer total segurança para os compradores não precisa se preocupar em se adequar a essas regras e padrões”, diz Breno Oliveira, um dos desenvolvedores que criaram o checkout transparente da Wirecard.

Para os vendedores, além de ser uma solução com foco na conversão dos lojistas, o checkout transparente favorece muito a experiência de pagamento do cliente. “No Zarpo, implementamos o one-step check-out através do check-out transparente da Wirecard desde o inicio da nossa operação. Conseguimos obter uma experiênca do usuário avançada em poucas horas sem ter que abrir mão de todo o leque de serviços de pagamento que Wirecard oferece”, disse Pierre-Eloi Déchery, CEO da plataforma de viagens Zarpo.

Gestão Financeira: Os 6 maiores erros que você não pode cometer

Parece mentira, porém, mais de 90% das pequenas empresas não sabem dizer ao fim de cada mês, ou ano, se a empresa deu lucro ou prejuízo. Pensando nisso é preciso ficar de olho para que o seu negócio não feche nos primeiros meses. Veja abaixo alguns dos maiores erros de gestão financeira que você não pode cometer no seu e-commerce ou negócio:

#1 Não saber registrar as transações da empresa

 Antes de mais nada é preciso ter em mente que registrar as transações da empresa sempre será a regra número 1 de qualquer gestão financeira bem sucedida. É a partir desses registros que você tomará decisões de investimento ou corte de gastos, por exemplo. Sem ter informações corretas como saldo do caixa, valor de estoque das mercadorias, volume das despesas fixas é impossível saber quanto e quando investir em determinada área da sua empresa.

#2 Não saber se a empresa dá lucro

Você sabe a diferença entre lucro e saldo de caixa? Em termos simples o lucro é a diferença entre os ganhos e as perdas. Se os ganhos forem maiores que as perdas temos lucro, se forem menores temos prejuízo. No entanto, o lucro não é necessariamente o dinheiro que você tem “sobrando”. Por exemplo: Você comprou um produto por R$ 10 (desconsidere outros gastos) e o vendeu por R$ 14. Você teve um lucro de R$ 4, só que se a compra não foi à vista, na verdade você ainda não recebeu esse valor do seu cliente. O lucro também pode estar em formas de ativo como investimento em estoque, bens e equipamentos, etc.

meios de pagamento online mais usados

Já o saldo é o dinheiro físico ou “visível” no caixa da empresa, o resultado da entrada e saída de todo o dinheiro naquele dia, semana, mês. Isso significa que a sobra de dinheiro em caixa não é sinônimo da obtenção de lucro e falta de dinheiro em caixa não é sinônimo de prejuízo. Para a administração financeira ambos são importantes e complementam um ao outro. Uma ferramenta bastante usada para ver se a empresa está gerando lucro é o Demonstrativo de Resultados do Exercício (DRE).

#3 Não calcular corretamente o preço de venda dos produtos

Para calcular o preço de venda dos produtos é necessário conhecer os custos e despesas da empresa. Os custos são os gastos de aquisição ou produção de mercadorias, como matéria-prima, mão de obra e gastos de produção e podem ser fixos (como as contas de aluguel, luz e água) ou variáveis (como frete, impostos e comissões de funcionários).

O controle do fluxo de caixa, o registro do custo das mercadorias vendidas e das despesas fixas são outros processos importantes a serem considerados na Gestão Financeira de uma empresa.

#4 Não conhecer corretamente o volume e a origem dos recebimentos

Registrar o volume e a origem dos recebimentos é uma prática muito importante no controle de fluxo de caixa. O fluxo de caixa é o principal “termômetro” da empresa, pois mostra em tempo real todas as movimentações financeiras (entradas e saídas) de um período (geralmente um mês) ajudando a avaliar o desempenho e  fazer o planejamento da empresa para os próximos meses. Lembre-se de fazer esses registros separadamente em categorias, como por exemplo: impostos, funcionários e pró-labore., Outra dica é fazer o registro do recebimento e não da venda. Por exemplo: Se você vendeu um produto em três parcelas de R$ 20, lembre-se de fazer três registros, ao invés de um único registro no valor total (R$ 60), assim você terá um registro mais “real” de quanto você tem em caixa.

marketing digital para empreendedores

#5 Não conhecer corretamente o custo das mercadorias vendidas

O registro errado das mercadorias no estoque pode prejudicar o cálculo sobre o custo das mercadorias vendidas e também influenciar os balanços financeiros. Se você não possui softwares ou ferramentas automáticas de controle e registro de estoque vale a pena adotar práticas simples como não esquecer de registrar a data, a quantidade e o preço do produto no momento em que você o recebe do fornecedor e encerrar suas fichas de estoque anotando o saldo em estoque e o total do custo das mercadorias vendidas no fim de cada mês.

#6 Não saber corretamente o valor das despesas fixas

Fazer a separação das despesas pessoais dos sócios em relação às despesas da empresa é fundamental para saber o valor correto das despesas fixas. Conhecer as despesas fixas, por sua vez é importante na hora de fazer o cálculo correto do preço dos seus produtos. Como despesas fixas você deve considerar gastos como aluguel, IPTU, folha de pagamento (impostos), pró-labore, despesas de manutenção do prédio, despesas comescritório de contabilidade ou prestadores de serviços, depreciações e amortizações, material de escritório, tarifas de água, telefone, energia, propaganda e seguros.

meios de pagamento online mais usados