O que é e como montar um Marketplace de nicho

Os marketplaces são um sucesso no mercado. A boa notícia é que atualmente é possível criar uma plataforma marketplace de nicho de forma rápida e simples.

Compartilhe

Os marketplaces são um sucesso no mercado. Empresas como Uber, Airbnb e Amazon alcançaram sucesso utilizando esse modelo de negócios. A boa notícia é que atualmente é possível criar uma plataforma marketplace de nicho de forma rápida e simples.

Neste artigo, você vai descobrir o que são os marketplaces, quais são as suas vantagens e como criar a sua plataforma. 

O que é uma plataforma marketplace de nicho?

Provavelmente você já usou uma plataforma marketplace de nicho no seu dia a dia. Hoje, esse tipo de tecnologia é muito popular e oferece diversas vantagens para empreendedores e clientes.

Um marketplace funciona como um shopping virtual. A plataforma conecta oferta e demanda de produtos ou serviços no ambiente online. Nesse mercado, existem negócios que atuam com um público variado. Por exemplo, a Americanas ou o Magalu, que vendem uma infinidade de itens.

Porém, as plataformas marketplace de nicho são uma grande tendência. Afinal, definir um nicho de mercado possui muitas vantagens. Ao contrário do que muitos pensam, escolher um público específico pode tornar o empreendimento mais rentável! Isso porque fica mais fácil criar estratégias assertivas e segmentadas.

Nesse sentido, é possível criar um marketplace de roupas femininas, produtos para pets, itens para bebês, artigos esportivos, entre muitas outras possibilidades.

Mas qual é a vantagem de lançar um marketplace? Não é melhor vender em plataformas já existentes? Isso depende do seu perfil enquanto empreendedor(a). Se você é um lojista e quer apenas aumentar suas vendas online, é possível vender em marketplaces. Porém, se a sua intenção é ter um negócio escalável e com alto potencial de faturamento, a melhor solução é lançar uma plataforma.

Contratar um programador ou uma plataforma pronta de marketplace?

Muitos empreendedores pensam que, para criar uma plataforma marketplace de nicho, é preciso contratar programadores. Mas, hoje já existem plataformas prontas e customizáveis no mercado. Elas permitem que você lance de forma simples, rápida e acessível. A grande vantagem é que você não precisa de tanto conhecimento técnico para utilizá-las.

No entanto, para poder contratar e gerenciar um programador, você precisa ter um certo conhecimento técnico em programação. Ainda, normalmente o custo de contratação é elevado e o processo de criação da plataforma pode ser demorado. Afinal, é preciso desenvolver, fazer testes, corrigir erros, etc.

Ao contrário, as plataformas prontas, por exemplo, o Ideia no Ar, oferecem agilidade e customização para quem emprende. Dessa forma, você pode focar na estratégia do negócio, em vez de se preocupar com a tecnologia em si.

Modelos de negócios para marketplace

Existem diferentes modelos de marketplace e cada um deles possui vantagens e desvantagens. De forma geral, as plataformas podem ser divididas em duas categorias: produtos e serviços. E, dentro delas, há diversas opções.

Abaixo, veja como cada modelo funciona:

1. Marketplace de produtos

As plataformas de produtos são bastante populares. Vários dos grandes varejistas brasileiros possuem esse tipo de marketplace, como Via Varejo e B2W Digital.

Marketplace de produtos físicos

As plataformas de produtos físicos são as mais tradicionais. Nelas, apesar de a compra acontecer online, os itens são entregues presencialmente aos clientes.

Marketplace de produtos digitais

Muitas pessoas não sabem, mas existem também marketplaces de produtos digitais. Por exemplo, eles podem oferecer games, e-books ou cursos à distância.

2. Marketplace de serviços

Os marketplaces de serviços servem para conectar consumidores com prestadores de serviço. Uber, Airbnb e GetNinjas são exemplos de sucesso dessa modalidade.

Marketplace de serviços por orçamento e negociação

Nesse tipo de plataforma, o prestador de serviços cadastra seu perfil e portfólio. Quando ele recebe o contato de um possível cliente, é realizada uma negociação para acertar os detalhes. Por exemplo, orçamento e prazo.

Marketplace de agendamento de serviços

Nesse modelo de marketplace, o consumidor agenda um um horário para receber o serviço. A grande vantagem é a praticidade para os clientes. Nesse caso, podemos citar o agendamento de serviços com profissionais da área da saúde ou da beleza.

Marketplace de aluguel de espaços ou produtos

Uma plataforma marketplace de nicho focada em aluguel aplica bem os princípios da Economia Compartilhada.

Essa forma de negócio também pode ser utilizada em diferentes nichos. Por exemplo, o aluguel de equipamentos, máquinas, roupas, brinquedos, espaços físicos, entre outros.

Marketplace de venda de leads

Nesse modelo, o prestador de serviços compra um pacote de créditos. Tal pacote corresponde a uma quantidade de leads, ou seja, de contato com potenciais clientes.

Depois de utilizar os créditos, os contatos da pessoa são liberados para o vendedor entrar em contato e tentar fechar negócio.

Perfis de cliente em um marketplace

Assim como em qualquer negócio, os marketplaces podem apresentar diferentes perfis de cliente. Cabe a você, enquanto empreendedor(a), identificar qual é o perfil mais adequado ao seu nicho de mercado.

Marketplace B2C

A plataforma marketplace de nicho B2C é uma das mais comuns. Nesse caso, o perfil é Business to Consumer. Ou seja, as transações acontecem de empresas direto para os consumidores finais.

Dessa forma, podemos citar Americanas, Magazine Luiza e Dafiti. Também existem marketplaces de serviços B2C, como Airbnb e Uber.

Uma dica para lidar com esse perfil de cliente é gerar uma boa experiência ao consumidor e em estabelecer confiança.

Marketplace B2B

marketplace B2B, ou Business to Business, faz transações de empresa para empresa. O Elo7 e o Alibaba são exemplos de sucesso desse modelo.

Aliás, segundo a ABStartups, o número de startups B2B dobrou em dois anos. Algumas das vantagens dos negócios B2B são a fidelização dos clientes e o ticket médio elevado.

Marketplace C2C

Nas plataformas C2C, as transações acontecem de consumidor para consumidor. Por exemplo, como ocorre no Mercado Livre, Enjoei ou OLX.

Normalmente, tais marketplaces trabalham com produtos usados. O modelo tem uma boa adesão, mas exige um investimento mais elevado. Porém, pode ter bastante rentabilidade a longo prazo.

Momento de mercado

O mercado de plataforma marketplace de nicho vêm crescendo há muito tempo. Nos EUA e na China, esse modelo já é responsável pela maior parte das vendas online. No Brasil, a partir de 2020, esse cenário também se repetiu. Neste ano, mais de 70% do faturamento do e-commerce veio apenas de marketplaces.

Além disso, a tendência é que a transformação digital dos negócios se intensifique cada vez mais. Hoje, uma empresa física não dá mais conta da inovação do mercado. Pense só, um negócio digital permite atingir públicos no mundo todo, enquanto as empresas tradicionais ficam restritas a um local.

Vale lembrar que não existe um momento perfeito para empreender. Os negócios de sucesso são aqueles que têm uma boa execução. Por isso, quanto antes você começar, melhor. Afinal, empreender é muito mais sobre colocar a mão na massa do que sobre ter boas ideias.

Mas, alguns períodos do ano são propícios para você criar campanhas específicas no seu marketplace e potencializar as suas vendas. O mês de novembro, com a Black Friday, e dezembro, com o Natal, são alguns exemplos. Inclusive, tempos de crise podem ser propícios para lançar negócios inovadores. O próprio Uber foi criado durante a crise de 2008.

Exemplos de plataforma marketplace

Você já sabe o que é uma plataforma marketplace de nicho e quais são as suas vantagens. Também é importante lembrar que existem diferentes modelos de marketplaces. Por exemplo, focados em produtos, serviços, aluguel ou agendamento.

Agora, vamos conhecer alguns exemplos de sucesso desse modelo de negócios:

Enjoei

O Enjoei é um marketplace de produtos C2C do ramo da moda. Pela plataforma, os usuários podem vender e comprar peças de segunda mão de maneira prática e simples. O marketplace funciona como uma espécie de brechó virtual.

Airbnb

O Airbnb é o maior exemplo de marketplace de aluguel do mundo. Tal plataforma marketplace de nicho conecta hóspedes com anfitriões de maneira segura e eficaz. Os donos do marketplace lucram por meio de comissões cobradas a cada negócio fechado dentro do aplicativo.

Uber

O Uber é um marketplace de serviços no nicho de transporte. Ele conecta motoristas e clientes por meio da plataforma. Assim como o Airbnb, a startup lucra com o modelo de comissão sobre cada transação feita.

DoctorAlia

Já o DoctorAlia é um marketplace de agendamento de serviços, cujo foco é o nicho de saúde. No marketplace, os clientes podem encontrar profissionais de saúde na sua região e realizar o agendamento online.

Como criar uma plataforma marketplace de nicho?

Agora que você já sabe qual é o potencial de criar uma plataforma marketplace de nicho, vamos te mostrar os principais passos sobre como fazer isso. Vamos lá?

1. Pesquise o seu nicho de mercado

O primeiro passo é definir um nicho de mercado. Aqui, é muito importante pensar em um setor que tenha potencial de crescimento e apresente uma quantidade razoável de possíveis clientes.

Além disso, se possível, opte por nichos em que você já tem experiência e networking. Também é fundamental realizar uma pesquisa de mercado. Para isso, você pode utilizar ferramentas como o Google Trends e o Google Keyword Planner. Ainda, acompanhar notícias e levantamentos do nicho pretendido pode te ajudar.

2. Escolha o seu modelo de negócios

Em seguida, é necessário escolher o seu tipo de marketplace. Isso porque ele pode ser focado em serviços, produtos, agendamento ou aluguel.

Nessa etapa, também é preciso definir pontos estratégicos, como a sua proposta de valor, sua persona e os canais de aquisição de clientes. Para isso, você pode contar com o apoio da ferramenta marketplace canvas

3. Faça a prospecção da oferta de produtos ou serviços

Então, chegou a hora de atrair vendedores para a sua plataforma marketplace de nicho. Para isso, você deve definir a persona dos seus lojistas ou prestadores de serviço. A partir disso, fica mais fácil saber em quais canais, seja online ou offline, você pode encontrá-los.

Lembre-se de evidenciar as vantagens que eles podem ter ao se cadastrar na sua plataforma. Por exemplo, você pode usar o modelo de receita de comissão sobre transação. Nele o vendedor só paga para a plataforma caso feche negócio, ao contrário do modelo de assinatura.

4. Atraia clientes com uma estratégia de marketing

Também é fundamental atrair uma quantidade relevante de possíveis clientes para a sua plataforma. Afinal, os vendedores precisam de um canal de vendas que tenha visibilidade.

Para isso, é essencial investir em estratégias de marketing eficientes. Aqui, a dica é testar diferentes canais aos poucos, avaliar os resultados e intensificar as ações que deram certo.

5. Escolha a sua plataforma

Por fim, você precisa escolher uma plataforma de marketplace de qualidade. Na hora da escolha, verifique como é o suporte, além das funcionalidades e os benefícios. Algumas empresas, apesar do preço acessível, não oferecem um acompanhamento próximo e constante para apoiar o seu negócio.

Conclusão

Criar uma plataforma marketplace de nicho é uma grande oportunidade para quem quer empreender um negócio escalável e com alto potencial de faturamento. Nesse mercado, existem diferentes modelos, perfis de cliente e nichos que você pode atender.

O melhor é que atualmente há plataformas de marketplace prontas e customizáveis, que são acessíveis e permitem um lançamento rápido. Você pensa em criar um marketplace? Agende já uma consultoria gratuita com a nossa equipe. O Ideia no Ar é uma plataforma de marketplace que já lançou mais de 400 clientes desde 2013.

Compartilhe