Marketplace para pequenos negócios: Como juntar esforços e criar um

Criar um marketplace para pequenos negócios unidos em prol de uma causa comum pode ser uma ótima forma de aumentar o faturamento. Veja por quê!

Compartilhe

Como criar um marketplace para pequenos negócios juntando essas empresas em um projeto comum? Pode ser que você já tenha feito essa pergunta e, considerando o momento atual, em que a criatividade para continuar vendendo é uma característica valiosa, a resposta a ela pode significar uma grande oportunidade!

Só para você ter uma ideia: no primeiro semestre de 2019, os marketplaces somaram um crescimento de 13%, enquanto a média dos e-commerces brasileiros ficou em 12%, segundo dados de uma pesquisa Ebit/Nielsen. Segundo o levantamento, esse canal é visto com bons olhos pelos consumidores, que consideram os marketplaces locais adequados para comparar preços, conseguir boas promoções e acessar outros benefícios fundamentais para quem consome pela internet.

É vantajoso vender em um marketplace?

Sem dúvidas que sim! Principalmente se seu e-commerce não tem um tráfego muito relevante e o seu negócio nem mesmo tem volume de recursos suficiente para melhorar esses resultados na velocidade que você espera. E para quem ainda não tem um e-commerce, essa é uma oportunidade de marcar presença no mundo das vendas digitais.

Entretanto, é claro que isso precisa ser feito com planejamento e critério. Em geral, há exigências de volumes específicos de vendas, bem como a lucratividade pode ser menor. Tem ainda o custo de vender nessa plataforma, além da perda de identidade, já que a marca no alto da página não é da sua loja.

No caso de empreendimentos que precisam aumentar a margem de lucro, especialmente em um momento de crise como o que vivemos, vale aproveitar a boa recepção que o público tem em relação aos marketplaces para colocar em prática uma ideia mais lucrativa e ousada. Essa ideia pode ser juntar os empreendedores da sua região e criar um marketplace para pequenos negócios.

Por que unir forças para criar um marketplace para pequenos negócios

A proposta de juntar pequenos negócios para criar um marketplace não é nenhuma invenção da roda. Você já viu aquelas redes de supermercados que se juntam só para negociar com os fornecedores? Elas costumam estocar as compras em um centro de distribuição comum e dividir as mercadorias conforme o valor investido. Assim, conseguem fazer frente a grandes varejistas.

Este é só um exemplo para você entender como a ideia dá certo. A diferença é que, em vez de uma união em prol do estoque, o marketplace para pequenos negócios é focado na venda. Unidos, podem custear todos os investimentos para colocar na rede essa estrutura e dividir o orçamento de desenvolvimento, publicidade e assistência técnica.

Mas nem tudo são gastos, porque a união para tornar real um marketplace para pequenos negócios gera uma economia no desenvolvimento de um e-commerce próprio. Desse modo, todos dividem custos em benefício de um objetivo comum. Inicialmente, esse marketplace pode servir exclusivamente ao grupo de empresas que tomou a iniciativa, por exemplo.

Porém, com o tempo, é possível atrair outros vendedores e expandir as fontes de receita. Dessa maneira, muitas oportunidades podem ser criadas: ampliam-se os canais de venda para aumento do faturamento, encontra-se uma oportunidade de vendas com custos compartilhados e, adiante, cria-se um novo negócio em benefício de todos os pioneiros da ideia.

Como juntar pequenos negócios para criar um marketplace

O primeiro cuidado é conhecer o mercado para identificar os pontos centrais de oportunidades. Essa avaliação vai permitir que a iniciativa atenda às demandas dos clientes. Nesse esforço, talvez seja necessário que as partes envolvidas ajustem algumas práticas dos seus negócios de modo a se tornarem mais atrativas para o público.

É preciso verificar tendências, oportunidades e fazer esses ajustes com base no resultado dessas pesquisas, para ter a certeza de que o projeto vai atingir os consumidores esperados. Aqui é relevante estabelecer a persona que se quer alcançar, o que é benéfico para o desenvolvimento de toda a estratégia.

Em seguida, é necessário fazer a organização interna. Como será a divisão de custos para gerar receita a esse marketplace para pequenos negócios? Lembre-se que ele precisa ser uma empresa independente e, como tal, tem de ser saudável financeiramente, ainda que esteja a serviço de todos os que se uniram para tornar a ideia possível.

Duas opções para essa divisão de custos são o comissionamento da transação, em que uma porcentagem das vendas vai para o marketplace, e outra é a mensalidade, em que cada loja paga um valor preestabelecido para custear as operações. Esse ganho deve ser revertido em investimento em infraestrutura e publicidade. O lucro de cada loja vem da porcentagem que pertence a elas.

Depois, chega a hora de definir a plataforma. Há várias existentes no mercado, mas também é possível desenvolver uma exclusiva. Por último, mas tão importante quanto todas as etapas anteriores, vem a definição da tecnologia para processamento dos pagamentos.

E é aqui que a Wirecard pode ajudar! Nossa solução é altamente adaptável às características de cada plataforma, incluindo, claro, um marketplace para pequenos negócios. A ele, certamente nós podemos oferecer o que for preciso para atender a todas as demandas para que a venda online seja um sucesso!

Além das alternativas comuns para quem vende em uma estrutura como essa, ainda temos o link de pagamento e a ferramenta de pagamento online, capazes de permitir que — como uma forma de fazer um esforço adicional de vendas — os vendedores das lojas físicas (se você tiver uma) façam abordagens virtuais aos clientes e indiquem essas formas de pagamento para quitar a operação.

Para que tudo isso dê certo, nós oferecemos conciliação financeira facilitada (o que é muito importante para um negócio que conta com vários envolvidos), cadastro facilitado dos lojistas e uma solução em conformidade com a regulamentação vigente. 

Entre em contato conosco e descubra como podemos ser parceiros ativos e estratégicos nessa iniciativa. Se preferir, fique à vontade para deixar seu comentário no espaço abaixo.

Compartilhe