Você já viu um monte de filmes sobre empreendedorismo, leu diversos livros, ouviu dezenas de podcasts sobre empreendedorismo e sempre está tentando se capacitar sobre o assunto. Mas, confesse, mesmo com tudo isso que você aprendeu, bem quando você resolve começar a idealizar o seu modelo de negócio inovador, parece que dá um branco? Nenhuma ideia surge? Talvez esteja na hora de você conhecer – ou recapitular – o conceito de MVP para startups e como ele pode te ajudar a desenvolver seu novo negócio com muito mais assertividade, passo a passo rumo ao sucesso.

Ao contrário do que muitos pensam, seu novo produto ou serviço, mesmo que idealizado para funcionar pela internet, pode começar a ser desenvolvido e testado sem que você tenha que digitar uma única linha de código.

Bom, se você quiser usar códigos e programação ao desenvolver produtos inovadores, também pode, mas evitar isso, nos primeiros estágios do desenvolvimento de um MVP para startups, pode te poupar muito tempo e recursos. Esse foi o caso do MVP da Easy Taxi, que vamos comentar mais adiante. Mas, antes disso, vamos alinhar nossos conhecimentos: você sabe mesmo o que é um MVP para startups?

Junte-se a milhares de empreendedores. Assine nossa newsletter!



MVP para startups: o que é e como desenvolver o seu?

MVP é a sigla para Produto Minimamente Viável (abreviação de Minimum Viable Product, em inglês). Ele é uma versão básica de seu produto, com poucas funcionalidades, e que deve ser lançada no mercado para validar uma hipótese (normalmente associada a resolver uma “dor de mercado”).

Um MVP para startups é mais um estágio no processo de desenvolvimento do que um produto pronto para ser comercializado. A dor do seu cliente pode ser “querer se locomover do ponto A ao ponto B“. O Produto Mínimo Viável pode ser um skate, que é um produto tecnologicamente inferior ao carro da marca Tesla, que é autônomo, elétrico e sustentável (e que, neste exemplo, é a sua visão de produto final). Concorda?

A partir do lançamento do MVP conseguimos iterar (ajustar) até encontrar o product market fit perfeito (o que pode acontecer em anos de amadurecimento do produto).

mvp para startups

O conceito de MVP para startups, por definição, seria uma maneira de testar o conceito ou ideia de seu produto ou serviço com o menor custo possível (sem desperdícios), antes de lançá-lo de verdade no mercado.

Como fazer isso?

Uma tática muito comum é usar sites de crowdfunding, explicar o conceito de seu produto ou serviço, fazer uma animação 3D mostrando direitinho todos os seus benefícios e verificar se alguém se anima com ele, pondo dinheiro em seu desenvolvimento.

Portanto, o MVP para startups não é necessariamente aquela primeira versão simplificada de seu produto que é lançada no mercado, não! O MVP do Dropbox, por exemplo, foi um vídeo curto que explicava o benefício de usar a tecnologia de arquivos na nuvem (a primeira versão do produto não havia sido nem lançada).

Quando uma pessoa quer investir em uma startup e chega no ponto de lançamento do produto, ele já deve ter sido testado por meio de vários MVPs anteriores, que podem ou não ter dado certo e que serviram para confirmar hipóteses.

Parafraseando Reid Hoffman, fundador do Linkedin, “Se você não tem vergonha da primeira versão do seu produto, você demorou demais para lançar.”

mvp para startups

Vamos entender isso melhor com um exemplo prático a seguir.

O primeiro MVP do Easy Taxi:

Antes do serviço ser lançado no mercado, os fundadores quiseram testar a hipótese de que as pessoas se interessariam por um serviço que chama um táxi para elas.

Eles criaram uma página na internet onde as pessoas digitavam manualmente o local onde estavam. Isso gerava um e-mail que era recebido por um dos sócios da startup que ligava para um serviço de táxi qualquer e mandava um carro para a pessoa.

Ora: nenhuma estrutura tecnológica complexa foi criada de verdade, tudo era manual e fictício, mas serviu para testar o conceito que, muitos MVPs mais tarde, deram origem a essa empresa de enorme sucesso que todos conhecemos. E você pode fazer o mesmo!

Usando plataformas gratuitas na internet e APIs para fazer seu MVP para startups

Plataformas gratuitas para construir sites existem várias, o mesmo se pode dizer de e-commerces, formulários, gerenciadores de projetos online e até sistemas de automação de marketing. Você pode muito bem usar tudo isso para criar seu MVP. Como? Veja um exemplo hipotético:

Digamos que você é um expert em vinhos e queira testar a seguinte hipótese: As pessoas usariam um serviço que dá uma sugestão de que vinho acompanha melhor determinada refeição e onde ele pode ser encontrado (e-commerce, loja física, etc).

Você pode criar um site na plataforma de e-commerce gratuita de sua preferência (Shopify ou Loja Integrada, por exemplo) e incluir um formulário do Typeform onde a pessoa descreve a refeição e acrescenta seu e-mail.

Por meio de APIs (protocolos na internet que fazem ferramentas baseadas na nuvem “conversarem” entre si) você tanto recebe um aviso em um cartão do Trello de que precisa pesquisar o vinho ideal e os e-commerces onde encontrá-lo (uma visita ao Buscapé pode ajudar bastante), como o e-mail do usuários já é cadastrado automaticamente no MailChimp.

Depois de escolher o vinho e a loja, você vai ao MailChimp, onde já tem um belo template de e-mail preparado, preenche com sua sugestão e envia a informação ao usuário. Viu como é fácil criar um MVP para startups com ajuda de APIs sem ter que digitar uma única linha de código?      

Se quiser ver mais dicas como estas e outros detalhes sobre a criação de startups, clique no banner abaixo para se inscrever e assistir ao Webinar, promovido pelo Wirecard e pela Pluga:

mvp para startups

Facebook Comments