Saiba o que são native ads e como eles podem ajudar a sua marca

Os native ads são anúncios que se diferenciam pela experiência que promovem ao usuário. Entenda os benefícios desse modelo e veja como fazer publicidade nativa para ganhar mais visibilidade!

Compartilhe

Seja você dono de loja física, seja dono de e-commerce, uma coisa é certa: entre os seus objetivos, está o de aumentar as vendas! E nesse sentido, um dos principais caminhos é divulgar a sua marca e os seus produtos ou serviços para atrair e conquistar cada vez mais clientes. Há diversas ferramentas que permitem fazer isso e uma delas são os native ads, também chamados de publicidade nativa.

O que são native ads

Todos os dias, dezenas de anúncios chamam a nossa atenção. Eles estão nas ruas, em outdoors, vitrines, placas ou folhetos, para citarmos alguns exemplos. Já no mundo digital, as propagandas estão nas redes sociais, nos e-mails, em sites e blogs, em aplicativos e várias outras plataformas. A verdade é que, hoje, é quase impossível passar um dia sequer sem ser alvo de algum anúncio.

Essa estratégia é fundamental para as marcas, afinal, quem não é visto não é lembrado. Justamente por isso, os esforços e investimentos em anúncios costumam ser significativos: de acordo com o E-commerce Trends, a terceira principal função das equipes de marketing é gerenciar anúncios em mídias pagas (66,2%), atrás apenas das campanhas de e-mail (66,7%) e das redes sociais (80%).

Porém, nem sempre essa publicidade é vista com bons olhos por quem a recebe. Se você já recebeu um anúncio que não tem nenhuma relação com o seu perfil ou com os seus interesses ou foi vítima de pop-ups ou outros tipos de propagandas incômodas que prejudicam a sua navegação em algum site, sabe que isso pode ser bem estressante e até impactar negativamente a marca que anuncia.

Pois é justamente nesse sentido que os native ads podem contribuir com as campanhas de marketing digital. Também conhecidos como anúncios nativos ou publicidade nativa, como dissemos, esse tipo de anúncio tem como objetivo melhorar a experiência do cliente, fazendo com que as ofertas surjam naturalmente na página em que ele está navegando, de forma não invasiva, além de estarem de acordo com os interesses do usuário.

O grande diferencial desse tipo de anúncio é que ele é desenvolvido no padrão do site, blog ou rede social em que está inserido. Dessa forma, para quem visita a página, a propaganda parece um post comum, que não interfere na navegação do usuário e que, mesmo assim, tem uma boa visibilidade. Veja esse exemplo:

O especial publicitário é posicionado em meio às reportagens com o mesmo layout das matérias do jornal. Com isso, ele não interrompe a navegação, como ocorre com banners e pop-ups e, ainda assim, fica muito visível para o público que acessa o site. O mesmo pode ocorrer nas redes sociais, em que os anúncios ganham o mesmo layout dos posts, como nesse caso, no Facebook:

Nas duas situações, os anúncios estão naturalizados com as mesmas características dos conteúdos que são tradicionalmente publicados nos canais. A única coisa que difere a publicidade são as marcações de “EY Apresenta” no jornal e de “patrocinado” no post do Facebook, importantes para ressaltar que trata-se de um anúncio.

O interessante é que o usuário não tem a sua navegação comprometida: se o anúncio não o agrada, basta ignorar e continuar a visita pelos outros itens da página, sem ter que fechar nem se esquivar de nada. Já se a oferta da publicidade nativa o interessa, ele pode clicar e ser direcionado para o site da empresa para conferir mais detalhes.

Os benefícios da publicidade nativa

Como qualquer anúncio, os native ads trazem visibilidade para a marca e são capazes de gerar mais tráfego em seu site ou blog. Mas, além disso, a publicidade nativa tem outras vantagens relacionadas ao modo como é feita e à forma como é divulgada que, como já vimos, não traz impactos negativos à experiência de navegação do usuário.

Um dos benefícios dos native ads é, justamente, não serem invasivos. Se você já foi bombardeado por algum anúncio piscando ou por uma pop-up dificultando a sua navegação, sabe bem que isso não deixa uma boa impressão sobre a marca. A publicidade nativa, por outro lado, não traz esse tipo de impacto, já que está naturalizada, quer dizer, faz parte do contexto da página.

Além disso, quando divulgados em sites e blogs, os native ads também trazem conteúdo relevante. Um exemplo disso é o especial publicitário que vimos anteriormente divulgado no jornal, que trata da inovação nas empresas. Em vez de apenas fazer uma promoção dos serviços da anunciante, o anúncio traz informações relevantes e qualificadas sobre esse mercado.

Essa característica é importante para chamar a atenção de potenciais clientes e, além disso, contribui para que o anúncio fique dentro do contexto do espaço em que está inserido. Afinal, trata-se de um site que divulga matérias e, dessa forma, é essencial que os native ads sigam esse mesmo modelo. Do contrário, não se trata mais de publicidade nativa.

Outra vantagem é o ganho em visualização: muitas pessoas têm instalado ferramentas para bloquear banners e pop-ups, o que já é um indicativo de que elas não querem visualizar esse tipo de anúncio. Os natives ads, por sua vez, não podem ser bloqueados. Além disso, segundo um estudo, a publicidade nativa é 52% mais visualizada que os banners. 

Por tudo isso, os anúncios nativos contribuem para gerar mais tráfego para o seu site ou para o seu blog e mais engajamento com a sua marca!

Como utilizar os native ads

Como em todas as ações de marketing, para fazer publicidade nativa é fundamental conhecer o seu público. É a partir da definição de uma ou mais personas que você vai entender quais são os desejos, as necessidades e os objetivos dos seus potenciais clientes — e tudo isso contribui para que você saiba que tipo de conteúdo produzir e em quais canais divulgá-lo.

Por exemplo, se você sabe que a sua persona costuma ler blogs que tratam de saúde infantil, vale a pena considerar esse tipo de canal para publicar os native ads. E para atraí-la para o seu site, produza um conteúdo pelo qual ela se interesse. Se a sua persona tem filhos pequenos, materiais que tratem desse universo são uma boa pedida.

É importante que esses conteúdos sejam adequados à cada etapa da jornada do consumidor. Se você tem uma loja online de roupas para bebês, por exemplo, pode optar por native ads mais diretos para clientes que já estão mais avançados no funil de vendas. Esse tipo de oferta fala especificamente dos produtos que você oferece, por isso, é indicado para clientes mais maduros na jornada de compra.

Já se o seu cliente ainda está no início da jornada e precisa saber mais sobre suas necessidades, seus desejos ou seus objetivos, o ideal é que você promova ofertas indiretas, que são aquelas relacionadas ao seu mercado e aos interesses da sua persona, mas que não oferecem diretamente os seus produtos ou serviços.

Para que sua campanha de publicidade nativa seja mais assertiva, também é importante que você defina objetivos e indicadores de desempenho. Os objetivos podem ser aumentar o tráfego, gerar mais visualizações, entre outras metas, desde que sejam mensuráveis. Já os indicadores servem para que você possa acompanhar os resultados continuamente.

Por fim, os últimos passos são a segmentação do público conforme os dados da sua persona e a escolha de uma plataforma de native ads. Existem diversas empresas desse segmento no mercado. As mais conhecidas são a Taboola e a Outbrain.

Como vimos, a publicidade nativa pode trazer diversos benefícios para a sua estratégia de marketing digital. Para isso, no entanto, é indispensável conhecer bem o seu público-alvo e fazer um bom planejamento da campanha, estabelecendo objetivos e indicadores e escolhendo uma plataforma que atenda às suas necessidades.

Compartilhe