Tenho um e-commerce e quero abrir loja física: o que devo fazer?

Meu e-commerce cresceu e agora quero abrir loja física: como devo proceder? Confira a resposta para essa pergunta em nosso artigo!

Compartilhe

Quando o assunto é expandir os negócios, o que temos visto com bastante frequência é a chegada de muitas marcas ao mundo virtual, motivadas, principalmente, pela possibilidade de aumentar o número de consumidores. Porém, o contrário também acontece. Há empresários que começam online e, depois de um tempo, sentem a necessidade de ter um local próprio. Daí surge a questão: o que devo fazer se quero abrir loja física paralela ao meu e-commerce?

A junção do mercado virtual e físico é cada vez mais comum entre as empresas. E não só pela questão do aumento das vendas, mas também como uma forma de fidelizar os clientes. Ao vender online e offline, você pode oferecer muito mais comodidade ao consumidor, que não fica preso a apenas uma opção de comércio.

Contudo, é preciso ter alguns cuidados para que o novo espaço de negócio se desenvolva tão bem quanto o atual. E para ajudar você nessa tarefa de abrir uma loja física depois de já ter um e-commerce estruturado, separamos algumas orientações que vão deixar o trabalho muito mais seguro e tranquilo. Siga com a gente e confira!

Conheça seu novo território de negócio

Há duas questões aqui. Uma é que estamos falando de um espaço físico, que exige organização, recepção, apresentação e outros detalhes estéticos que, muitas vezes, não são necessários no mundo virtual. 

Então, escolha um local que atenda às exigências da sua marca e fique atento à montagem da vitrine, à arrumação das prateleiras e balcões, ao controle do estoque e, especialmente, à escolha da equipe. Um bom atendimento é essencial para ter sucesso nas vendas offline.

A outra questão envolve a burocracia. É de extrema importância estar ciente das implicações jurídicas e contábeis que envolvem abrir um negócio físico atrelado a um virtual. Geralmente, esse processo de expansão exige apenas uma atualização dos dados da loja virtual, indicando a mudança no contrato social e, quando necessário, a alteração do Cadastro Nacional de Atividades Econômicas (CNAE). 

Não é preciso obter um novo registro da empresa e nem nova sociedade empresária para migração ou ampliação do negócio, pois a empresa será uma só, com alterações somente nas atividades. Além disso, fique atento às especificidades que as lojas físicas exigem, como a prestação de contas sobre o estoque, o horário de funcionamento, a carga horária dos funcionários, entre outras. 

Para não ter erro, conte sempre com o apoio de um contador ou de um advogado. Assim, você garante que tudo fique dentro da lei e não corre o risco de sofrer penalidades no futuro. 

Como explicar para a equipe que quero abrir loja física?

Nesse ponto, o mais importante é deixar claro que não existe, e nem deverá existir, qualquer tipo de competição entre vender online e offline. Os funcionários precisam entender que os dois ambientes fazem parte de uma mesma empresa e que os resultados serão compartilhados por todos. Um bom caminho aqui é fazer com que as equipes trabalhem de maneira integrada. 

Faça com que o time do online conheça as atividades e a forma de trabalhar dos funcionários do offline e vice-versa. Incentive, inclusive, que recomendem um ao outro para os clientes. Pense em um comprador que entra no site para comprar uma camiseta, mas está em dúvida sobre o real tamanho do produto. Então, ele entra em contato por e-mail para saber como ter certeza sobre isso. 

Na resposta, o atendente do e-commerce pode recomendar que ele vá até a loja física da marca para provar e confirmar o tamanho. E orientar que, se ele achar melhor, pode fechar negócio por lá mesmo, sem precisar voltar ao site. 

Ou, por exemplo, quando o cliente entrar na loja física e não encontrar o produto na cor desejada, pois o estoque ainda não foi reposto, o vendedor pode indicar que ele entre no site, pois lá tem todo o portfólio da marca, dando a certeza que encontrará o que procura. 

Há ainda a possibilidade da venda online com retirada em loja física, que é o melhor exemplo de integração entre as equipes. Hoje, essa opção é bastante usada por empresas que têm muitos pontos de vendas offline, como as grandes lojas de varejo. Normalmente, a pessoa compra no site e busca o produto na loja mais próxima, sem ter que esperar pela entrega ou pagar frete. 

E o contrário também é possível. O cliente vai até a loja física, mas não encontra a mercadoria por conta da falta em estoque. O vendedor, então, entra no site e faz a venda, indicando que o produto pode ser enviado para o endereço dele. 

Isso ainda acontece pouco, mas é totalmente possível. Em qualquer uma das situações, o cliente fica satisfeito e reconhece que a marca, como um todo, está fazendo um bom trabalho! 

Mantenha o padrão da marca

Quando você tem uma marca, ela precisa oferecer o mesmo patamar de satisfação ao cliente, independentemente da plataforma. Por isso, ao montar o seu espaço físico, mantenha o mesmo padrão de organização, de funcionalidade e de beleza do seu e-commerce. 

Separe a sua loja por categorias e dê indicações claras aos clientes de qual é cada seção. Além disso, mantenha os produtos organizados e com o preço sempre visível para evitar qualquer dúvida. Para lojas de grande porte, uma boa dica é disponibilizar máquinas de consulta de preços. 

Também tome bastante cuidado com a limpeza dos produtos e da vitrine para que o cliente não encontre sujeira ou poeira sobre a mercadoria ou as prateleiras. Isso faz parte do bom atendimento e conta muitos pontos na avaliação sobre voltar ou não a um comércio. 

Facilite o pagamento offline como faz no online

Vender online e offline tem diferenças, é claro, mas para o cliente, se no site ele pode dividir a compra em 10 vezes, por que na loja física isso não é possível? Então, tente ao máximo estabelecer condições iguais para as vendas digitais e analógicas, oferecendo diversas opções de pagamento, com parcelamento no cartão ou no carnê, e um atendimento agilizado nos caixas. 

Uma dica aqui é criar um programa de fidelização que integre as compras online e offline. Assim, além de disponibilizar vantagens para os clientes, você consegue ter um controle melhor da relação dele com sua marca, independentemente da plataforma. Isso facilita na hora de negociar e possibilita a oferta de melhores condições de pagamento. 

Quero abrir loja física, e agora?

Como você viu, expandir um negócio online para um offline não é algo impossível ou complexo demais. É trabalhoso, pois exige atenção em vários detalhes indispensáveis antes, como a arrumação de vitrines e o atendimento presencial. Mas como mostramos, é totalmente viável e pode ser um grande salto para o seu negócio. 

E, claro, para fazer tudo isso sem se atrapalhar com as finanças, é preciso contar com uma solução que auxilie na gestão financeira. Uma delas é a Wirecard, que tem maquininha para a loja física, plataforma de pagamento para a loja online e integração entre as duas para uma administração simples dos ganhos e dos gastos. Entre em contato e veja como nós podemos ajudá-lo!

Esperamos que este artigo seja útil para você. Aproveite também para acessar outros artigos do nosso blog. Tem muito conteúdo relevante para ajudar você a impulsionar as suas vendas e fazer a sua empresa crescer!

Compartilhe